Ukulhas, uma verdadeira ilha das Maldivas

A ilha de Ukulhas é uma das 1190 ilhas que existem nas Maldivas. Foi onde fiquei durante algum tempo. Quis conhecer as praias paradisíacas mas fugir um pouco dos resorts, de forma a ser mais acessível financeiramente e a ter uma experiência mais autêntica. Normalmente quando este país é referido nunca se aborda outro tema que não as viagens de luxo. Eu quis descobrir como é a vida dos habitantes locais das Maldivas.

Onde fica Ukulhas

Ukulhas fica no Atol Alif Alif e para aqui chegar é necessário apanhar um barco a partir do aeroporto ou de Malé, a capital das Maldivas. Esta distância é de cerca de 77 km. Também existem voos regulares de hidroavião entre algumas ilhas, mas não esta. Pelo menos eu não vi.

Barco no porto de Malé
Barco no porto de Malé

A ilha é muito pequena, com aproximadamente 1025 metros por 225 metros e 900 habitantes. No final do tempo que estive em Ukulhas já reconhecia boa parte dos habitantes e dos outros viajantes que por aqui andavam. Não muitos. E ainda bem 🙂

Mapa da ilha de Ukulhas
Mapa da ilha de Ukulhas

Porto da ilha

Mesmo na zona onde se encontra o porto está a mesquita, onde o muezzin chama à oração 5 vezes ao dia. Tenho a sensação que é este ritual que dita a cadência de vida dos habitantes.

Mesquita da ilha de Ukulhas
Mesquita da ilha de Ukulhas
Porto da ilha de Ukulhas
Porto da ilha de Ukulhas

A grande maioria das pessoas já parecem estar habituadas à presença de viajantes. Até há bem pouco tempo não eram muito desejados por aqui. Por esta razão é que os locais onde os viajantes podem ficar alojados são muito recentes. Alguns têm apenas poucos meses. E pelo que me foi indicado um estrangeiro que queira abrir algum tipo de alojamento, tem de o fazer sempre em parceria com um habitante local.

Também no porto existe um parque infantil super bem equipado que abre apenas às 6ªf e sabados.

Ruas da ilha

A partir desta área temos rapidamente acesso à via principal da ilha, que percorre os 1025 metros de toda a ilha. Em qualquer ponto desta rua conseguimos ver o mar em ambas as extremidades. É aqui que se encontra a maioria das pequenas lojas, onde podemos comprar alguns artigos. Não muitos e um pouco caros. Em Ukulhas há muitas mangas e cocos, mas como ninguém os retira das árvores, os disponíveis são caros.

A cruzar a rua principal existem várias ruas mais pequenas. É interessante percorrer a ilha, andar pelas ruas e e observar o quotidiano. A ida à mesquita, o deambular nas horas em que o calor abranda um pouco, os passeios de mota para sentir o vento na cara.

Rua principal da ilha de Ukulhas
Rua principal da ilha de Ukulhas

Praia paradisíaca

Um local abosolutamente obrigatório é a praia. Eu nunca tinha visto nada assim, nem nas Caraíbas que já considerava praias espetaculares. A areia é fina e dourada. O mar é quente, com muitos corais e peixes e tem uma cor turquesa maravilhosa. Eu passei horas neste mar.

Praia da ilha de Ukulhas
Praia da ilha de Ukulhas
Uma raia na água da praia (Ilha de Ukulhas)
Uma raia na água da praia (Ilha de Ukulhas)

Adorei a cor do mar quando chegava à praia de manhã, sob a luz do um sol forte e no final do dia com um magnífico por-do-sol. Pura magia e perfeição.

Por aqui normalmente encontravam-se mulheres e crianças locais a comer, passear ou dentro de água. A grande maioria de sorriso muito fácil.

Ukulhas é uma ilha simples, com pessoas simpáticas e com uma praia magnífica. Para quem gosta de calor e mar quente, e alguma autenticidade, é perfeita. Eu adorei.

Pés na areia na ilha de Ukulhas
Pés na areia na ilha de Ukulhas


Dicas para viajar até Ukulhas

(Se fizer as suas reservas através destes links, não paga mais nada por isso e eu ganho uma pequena comissão, o que é determinante para eu continuar a escrever sobre viagens. Obrigada!)

Como chegar: De avião até Malé e a partir daí de barco até ao porto da ilha de Ukulhas. O preço da viagem de barco é de 100 dólares por pessoa e por viagem.

Como se deslocar: A pé, a ilha é mesmo muito pequena.

Onde dormir: Há algumas possibilidades de alojamento na ilha. Eu fiquei em três locais diferentes, mas recomendo apenas um deles.

Vai sentir-se em casa:  SeaLa Vie Inn

Onde comer: Há poucos restaurantes disponíveis, eu fui quase sempre ao restaurante do SeaLa Vie Inn, onde existe comida típica da Tailândia.

26 comentários em “Ukulhas, uma verdadeira ilha das Maldivas”

  1. É como se chega ao a não ser pelos resorts? Qual valor médio gasta Pat ir a cidade? Existe lugar na cidade para se hospedar?

    Responder
  2. Olá Catarina Leonardo, tudo joia?! Eu gostei muito de saber da experiência de vocês nas Maldivas pois estou também tentando planejar algo que seja mais autêntico por lá. Eu fiquei sentindo falta das fotos nesse post viu! Quero ver mais fotos dessa ilha espetacular que vocês visitaram! Abraço!

    Responder
    • Olá Luiz 🙂
      Se precisar de ajuda diga-me por favor. Por enquanto peço-lhe para espreitar o meu instagram, tenho lá mais algumas fotos. Mas em breve vou disponibilizar mais fotos das Maldivas! Obrigada pela dica.
      Beijinho

      Responder
  3. Estou gostando muito de ler suas inspirações em Maldivas, não conhecia nada sobre a ilha de Ukulhas, como é a gastronomia de lá? Achei legal o fato de que os empreendimentos sempre precisem de sociedade com moradores locais!

    Responder
    • Olá Fábio 🙂
      Não há muita oferta de restaurantes… Essa parte pode não ser tão fácil. O mais característico é peixe grelhado, com arroz. Mas no alojamento tentam sempre agradar, fazendo uma comida adequado a cada país de onde vimos e por isso pode ser um pouco mais fácil.
      Em Ukulhas tive a sorte de encontrar um restaurante tailandes magnífico, que fui várias vezes. Recomendo. É o SeaLaVie.
      É mesmo, ajuda imenso a economia do país.

      Responder
  4. Olha, gostei dessa pegada diferente da sua viagem e do post. Realmente quando pensamos em Maldivas imaginamos só luxo e esquecemos que ali moram pessoas, né?! Obrigada pelas dicas.

    Responder
    • Olá Leo 🙂
      Que bom que gostou! É muito mais económico, sem dúvida. Os resorts têm um custo elevado e nestas ilhas são hotéis básicos em que pode ficar por 60 dólares a noite. Não tem nada a ver…

      Responder
  5. Muito legal você optar pela experiência longe dos resorts. Eu faria o mesmo, a gente só conhece o destino de verdade assim, né? Como não conheço ainda, acho que vai servir de inspiração pra mim quando for por lá 🙂

    Responder

Deixe um comentário