Banguecoque, a Cidade dos Anjos

Banguecoque é a capital da Tailândia e uma das cidades mais impressionantes do mundo. Localiza-se na margem do rio Chao Phraya que serpenteia pela cidade e desagua no Golfo da Tailândia. O rio é também conhecido com rio dos Reis.

O nome

Os tailandeses não conhecem a cidade com o nome de Banguecoque, mas sim Krung Thep ou Cidade dos Anjos. Estas duas últimas designações têm origem no nome cerimonial da cidade, que está em duas línguas indianas antigas. Traduzido para português é: A cidade dos anjos, a grande cidade, a cidade que é jóia eterna, a cidade inabalável do deus Indra, a grande capital do mundo ornada com nove preciosas gemas, a cidade feliz, Palácio Real enorme em abundância que se assemelha à morada celestial onde reina o deus reencarnado, uma cidade dada por Indra e construída por Vishnukam.

É nome da cidade mais extenso do mundo! Percebe-se porque tinha de haver nomes mais curtos. O nome cerimonial é utilizado apenas em ocasiões especiais.

O nome internacional de Banguecoque tem origem na designação do local onde foi fundada. Chamava-se Bang Kok, que significa A vila das árvores de ameixa. Com o tempo este nome foi esquecido pelos tailandeses mas sobreviveu internacionalmente.

Fundação da cidade

Banguecoque começou por ser uma pequena aldeia na margem do rio Chao Phraya. Nessa altura era utilizado como porto para os barcos que se dirigiam a Ayutthaya, a capital do reino como o mesmo nome. E desta forma foi ganhando importância.

Depois do saque pelos birmaneses de Ayutthaya, foi decidido mudar a capital do reino para Thonburi e mais tarde, para Banguecoque. Esta mudança de um lado para o outro do rio, de Thonburi para Banguecoque, deu-se para dificultar o acesso dos birmaneses. Eles vinham do lado de Thonburi.

A 21 de abril de 1782 foi fundada a cidade de Banguecoque. Também neste ano inicou-se a construção do Grande Palácio Real, um enorme complexo de edifícios e templos. Ao longo dos anos os reis que habitavam o palácio realizaram alterações, em estilos diferentes.

A capital desenvolveu-se devido ao comércio com a China e com alguns países europeus, até se tornar a cidade que é hoje. É uma metrópole com 10 milhões de habitantes e duas zonas distintas. A cidade antiga com palácios e templos antigos coloridos e dourados e a moderna com hoteis, escritórios e áreas comerciais.

Numa visita a Banguecoque deverá visitar ambos os lados da cidade. É uma cultura fascinante e super interessante. Recomendo incluir um passeio de barco pelos canais do rio, uma visita ao Palácio Real e ao Templo do Buda de Esmeralda, ao mercado flutuante e à área mais comercial, como Khao San Road.

Não se deve esquecer de conhecer a maravilhosa cozinha tailandesa e fazer pelo menos uma massagem. São fantásticas e super baratas!

Muita coisa interessante para fazer em Banguecoque, a A vila das árvores de ameixa…

Como planear uma viagem de forma independente (tal como eu faço)?
. Reservar os melhores voos no SkyScanner. Aqui consegue encontrar e comprar os melhores voos para o destino escolhido.
. Alugar carro no Rentalcars. Vai encontrar todas os parceiros e fornecedores disponíveis assim como os preços das várias gamas.
. Marcar no Get Your Guide os bilhetes de entrada nos locais que pretende visitar ou nos tours que quer fazer, para evitar filas e tempo perdido.
. Fazer o visto em iVisa.
. Fazer um seguro de viagem na Iati Seguros, para não correr riscos que podem sair caros.
. Utilizar o cartão Revolut, que lhe possibilita fazer pagamentos e levantamentos na moeda do local onde estiver a viajar (e poupar muito dinheiro em taxas).
. Marcar sempre que necessário uma Consulta do Viajante para conhecer os riscos associados à sua viagem e as respectivas medidas de protecção e prevenção.
. Optar sempre que possível por levar menos bagagem possível. Veja as minhas 10 dicas.

 

Sobre a Kate
É uma ex-consultora, blogger de viagens a tempo inteiro, viajante há 20 anos e mãe da Maria há 5. Viaja na maior parte das vezes em família, com a filha desde que era uma bebé de 2 meses e os 3 juntos já fizeram mais de 30 viagens pelo mundo.
Fundou o Wandering Life, organiza @instameets.pt, fundou e é vice-presidente da ABVP – Associação de Bloggers de Viagem Portugueses, tem ebooks onde ajuda outras famílias a viajar, é fundadora da comunidade Famílias de mochila às costas e da rubrica Conversas em família.

25 comentários em “Banguecoque, a Cidade dos Anjos”

  1. Sou suspeita pra falar de Bangkok. Já passei uns 6 meses na cidade. Inclusive é onde estou morando agora, e devo permanecer por aqui mais uns bons meses… Na verdade não tenho vontade de sair! Amo esse lugar!

    Responder
  2. Bangkok está nos meus planos há um tempo, mas preciso organizar bem para conciliar com as outras cidades e praias da Tailândia. Gostei de ler um pouco mais sobre a história.

    Responder
  3. Que show! Sonho em conhecer Bangkok desde os tempos em que fazia Muay Thai, em minha adolescência. Até hoje ainda não consegui. Mas isso não vai demorar muito! Que loucura este nome enorme da cidade. :O

    Responder
  4. Sem dúvida, uma das cidades que nos “prende”. Por tudo o que de bom e menos bom tem para nos oferecer. A Vila das Árvores de Ameixa é uma constante surpresa, pois reinventa-se a cada vez que regresso. Um dia organizamos uma ‘trupe’ e vamos lá curtir uns dias :)))

    Responder
  5. Nunca estive por aí mas tenho muita vontade de conhecer. Sempre leio relatos de quem passou pela cidade e que adorou, além dos lugares que são incríveis e brilhantes. Obrigada por compartilhar.

    Responder
  6. Adorei saber das origens de Bangkok e de seu nome. Faz toda a diferenças conhecer as histórias de uma cidade. Quando visitar Tailândia já vê-la com outros olhos. 🙂

    Responder

Deixe um comentário