Os Bosques de Palermo em Buenos Aires

O Parque Tres de Febrero é conhecido como Bosques de Palermo. A 3 de fevereiro (nome do parque) de 1852 ocorreu a Batalha de Caseros, um importante acontecimento para a cidade e para o país.

Esta enorme área verde fica no bairro de Palermo, na cidade de Buenos Aires. Ocupa mais de 80 hectares e é uma das maiores da capital argentina.

O espaço agora ocupado pelos Bosques de Palermo eram propriedade do presidente Manuel de Rosas. Era aqui que ficava a Quinta das Rosas, a sua residência. Mas com a Batalla de Caseros esta propriedade foi tornada pública.Assim sendo, em 1874 o Presidente Domingo Sarmiento teve a iniciativa de criar um parque neste local. No ano seguinte, no dia 11 de novembro de 1875 foi inuagurado e tornou-se o primeiro parque público da cidade. Desde aí já sofreu algumas alterações, até se tornar no que vemos agora.

Numa visita aos Bosques de Palermo podemos visitar vários espaços. De seguida vou falar um poucos de alguns deles.

Planetário Galileu Galilei

Este é o principal centro de divulgação da astronomia da cidade de Buenos Aires. O edifício de construído entre 1962 e 1966 tem 5 andares e uma sala de projeção central.

Na minha viagem a Buenos Aires, no final do mês de fevereiro (deste ano), não consegui entrar, uma vez que estava encerrado.

Ecoparque (antigo Jardim Zoológico)

Também não entrei no Ecoparque. Mas vi do passeio umas belas girafas!

Este espaço foi inaugurado como Jardim Zoológico em 1888 e esteve aberto ao público até ao ano de 2016. Desde aí tem vindo a transformar-se num Ecoparque moderno, educativo e interativo.

Jardim Japonês

Este jardim foi uma agradavél surpresa em Buenos Aires. É um local super calmo e relaxante que recomendo mesmo visitar.

O espaço foi inaugurado no ano de 1967 quando o principe herdeiro (atual imperador) do Japão e a sua mulher se deslocaram à capital argentina. Como o nome indica o projeto segue o estilo japonês, onde os elementos bscam o equilíbrio e harmonia.

Quando chegamos ao jardim destaca-se imediatamente um enorme lago, com grandes carpas. Depois vemos os jardins, as pontes, uma queda de água e esculturas. À volta desse lago existem também vários pontos de interese a visitar neste passeio.

É aqui que se encontra a Fundação Cultural Argentino-Japonesa, um restaurante japonês, um viviero de plantas e uma casa onde é recriado a fantástica cerimónia do chá.

El Rosedal

No Rosedal é possível encontrar mais de 18000 rosas e de vários locais do mundo. Este é o facto pelo qual esta zona dos Bosques de Palermo é mais conhecida. E é merecida a fama. Adorei a explosão de cor de tantas rosas diferentes.

Contudo aqui também podemos encontrar lagos com patos, um pátio andaluz oferecido por Sevilha, uma área com várias estátuas de poetas intemporais, fontes, um anfiteatro e a ponte dos namorados (estilo grego).

O Rosedal foi inaugurado em 1914 com o objetivo de embelezar uma parte dos Bosques de Palermo.

Muito perto desta zona, mesmo por baixo de uma ponte há vários restaurantes e cafés muito modernos e agradavéis. Mas um pouco caros. Fica a dica e o aviso!

Jardim Botânico

No Jardim Botânico, com mais de 7 hectares, podemos encontrar cerca de 6000 espécies vegetais da argentina e de outros locais do mundo. Num passeio a pé podemos ver também a biblioteca de botânica, um herbário, invernadouros, uma casa enorme de estilo inglês e zonas jardinadas de estilo romano, francês e oriental.

Este jardim foi inaugurado em 1898 e o seu projeto foi da responsabilidade de um paisagista francês.

46 comentários em “Os Bosques de Palermo em Buenos Aires”

  1. Que saudades IMENSAS de todos esses lugares fantásticos… acredito que não há “duas sem três”, pelo que espero completar o “tri” em Buenos Aires 🙂 Belo artigo!

  2. Muito bacana. Não conheço Buenos Aires mas acredito que esse passeio nos bosques de Palermo ´um programa que não pode faltar!

  3. Olá Catarina, fiquei com vontade de ver mais fotos, sobretudo do roseiral. As carpas não podiam faltar no jardim japonês, já que simbolizam prosperidade, longevidade e fertilidade, não é?
    Abraço

  4. Oi Catarina. Nunca fui a Buenos Aires mas tenho tirado super dicas de ler os teus posts. 🙂 Que pena não teres conseguido visitar o planetário. Fiquei curiosa sobre como seria a projeção. Por outro lado, o Jardim Japonês deve ser uma delicia! beijinhos!

    • Olá Marlene 🙂
      Que bom que tens gostado de conhecer a cidade pelos meus posts! Eu também fiquei com pena, gostava de ter ido. Sim, o Jardim Japonês foi uma agradável surpresa. Beijinhos também

  5. O Parque deve ser lindo, Catarina! Fiquei muito interessada no Planetário, pena que estava fechado! Faça um post pra gente quando conseguir entrar 🙂

  6. Eu não lembro certeza se conheci ou não esses lugares quando estive em Buenos Aires. Uma pena que o post não tem mais fotos para ajudar com a minha memória. Acho que estive apenas no Jardim Japonês. tenho até que dar uma espiada nas minhas fotos.

  7. Ótimo artigo. Às vezes quando visitamos uma cidade nem sempre temos tempo de conhecer parques e jardins. Um erro que precisa evitar.
    Obrigada por compartilhar!

  8. Adoro nuestra hermana Bs As, me saudade sós ao ler esse post. Aliás, Palermo é o bairro que mais gosto e sempre opto por ele para me hospedar. 🙂

Deixe um comentário