Tudo o que precisa saber sobre a consulta do viajante

No século passado os cuidados de saúde de um viajante eram equiparados à Medicina Tropical e /ou exótica. Mas ao longo do tempo ambos os conceitos começaram a ter um foco um pouco diferente, estando direcionada a Medicina Tropical ao diagnóstico e tratamento de doenças já adquiridas e a Medicina do Viajante a uma vertente mais pré-viagem.

Atualmente há cada vez mais pessoas a viajar, viajantes esses que se encontram conscientes da importância do seu estado de saúde e que não dispensam manter esse zelo quando se deslocam a outros países. Estas questões são muito debatidas nas redes sociais e nos fóruns da comunidade viajante. Importa falar sobre elas.

Assim sendo, convidei um médico amigo com especialidade em Medicina do Viajante a responder a algumas perguntas que são muito comuns entre os apaixonados por viagens, tal como eu. Se tiver mais questões ao ler este artigo, diga-me, é sempre possível acrescentar mais informação pertinente para todos os viajantes (e não específica para uma determinada situação e/ou pessoa).

1 – O que é a consulta do viajante? Para que serve?

De acordo com a Ordem dos Médicos “(…) abrange uma vertente pré-viagem, preventiva, informadora e formadora e uma vertente pós-viagem, de diagnóstico e tratamento, num âmbito abrangente e de caráter transversal.”
Quando viajamos estamos expostos a um conjunto de factores não habituais no nosso dia-a-dia. Todas as viagens trazem consigo riscos de saúde, mais ou menos relevantes, mediante o viajante, o destino e o itinerário. A Medicina do Viajante dedica-se a compreender estes riscos e a minimizá-los.

2 – Quem deve fazer a consulta do viajante?

Todos os destinos e todos os viajantes, podem beneficiar de uma consulta do viajante, no entanto, habitualmente, as viagens para países do hemisfério sul são as que mais preocupam. Mas há excepções. Sabia, por exemplo, que em estadias longas na Europa Central a vacina para a encefalite da carraça pode estar indicada?
Não se esqueça que se for viajar para um Estado-Membro da União Europeia, Islândia, Liechtenstein , Noruega e Suíça (e se for Europeu e cumprir alguns requisitos), pode pedir o Cartão Europeu de Seguro de Doença. Os beneficiários da Segurança Social que têm número de identificação de Segurança Social, podem pedir o cartão na Segurança Social Direta.

3 – Qual a importância das vacinas que podem são prescritas?

As vacinas são um dos pilares da Medicina do Viajante. Cada destino tem diferentes recomendações quanto à necessidade de vacinação. Na consulta do viajante é avaliado o destino e o tipo de viagem, indicando o médico quais as vacinas pertinentes para a sua viagem.
As vacinas mais frequentemente aconselhadas são a vacinas contra a hepatite A, febre tifóide e febre amarela. Outras vacinas que poderão ser prescritas são as vacinas contra a encefalite japonesa, encefalite da carraça, meningite ou poliomielite. Sempre mediante apreciação prévia do viajante e do destino.
Idealmente deverá marcar a sua consulta do viajante com pelo menos um mês de antecedência para que possa completar todos os esquemas de vacinação que necessita.

4 – Quais as vacinas obrigatórias?

Determinados países, através do Regulamento Sanitário Internacional, podem impedir a entrada de viajantes que não tenham certa vacina. A vacina que em maior número de países é obrigatória é a vacina da febre amarela. No entanto, outras vacinas podem também ter caracter obrigatório, é caso da vacina contra a meningite ou poliomielite. 
Tão ou mais importante que a questão legal é o risco para a saúde. Num dos destinos preferidos dos portugueses, o Brasil, a vacina da febre amarela não é obrigatória mas está recomendada.

5—Quanto tempo antes da viagem se deve marcar a consulta do viajante? Onde marcar?

Deverá ir à consulta do viajante quatro a seis semanas antes da sua viagem. Poderá marcar consulta numa das várias Clínicas privadas existentes, tal como a Clínica Mais Alvalade ou se preferir pode optar por um dos Centros de Vacinação Internacional espalhados pelo país. deixo aqui os contactos de Lisboa e Porto.
 
Centro de Vacinação Internacional do Porto
Rua da Alegria, n.º 1057 – Porto
Telefone: 222 002 540
E-mail: cvi@arsnorte.min-saude.pt
Consultas de Medicina das Viagens e Vacinação, com marcação prévia por telefone (222 002 540) ou e-mail (cvi@arsnorte.min-saude.pt)
 
Horário:
– Atendimento geral: 9.00h às 13.00h e das 14:00h às 17.00h
– Consultas: 2.ª a 5.ª Feira: das 9.00h às 12:30h e das 14:00h às 16:15h; 6.ª Feira: das 9.00h às 12.30h

Centro de Vacinação Internacional da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo
Agrupamento de Centros de Saúde de Lisboa Norte
Centro de Saúde de Sete Rios
Largo Prof. Arnaldo Sampaio, 1549-010 Lisboa
Telefone: 217 211 800
 
Consulta do Viajante
Terça-feira e quarta-feira – das 9:30h às 13:30h (no site não está correto)
Com marcação prévia através do e.mail consulta.viajante.lxnorte@arslvt.min-saude.pt

Vacinação Internacional
Todos os dias úteis das 9 às 13h e das 13h.30 às 15h.30, por ordem de chegada (senhas individuais com limite de atendimentos)
O utente deve ser portador de prescrição médica (em suporte de papel) das vacinas a efetuar.  
 

6 – O que levar para a consulta do viajante?

Para a consulta do viajante deverá levar consigo os seguintes documentos:
– Cartão do Cidadão
– Boletim Individual de Saúde
– Certificado Internacional de Vacinação (se já o tiver).

Cada vez que planear fazer uma viagem pense sempre na consulta do viajante, não custa mesmo nada. Embora lá voltar de viagem apenas com boas histórias para contar!!!



Deixo aqui alguns links que poderão ser úteis na obtenção de mais informação sobre medicina do viajante.

Como planear uma viagem de forma independente (tal como eu faço)?
. Reservar os melhores voos no SkyScanner. Aqui consegue encontrar e comprar os melhores voos para o destino escolhido.
. Alugar carro no Rentalcars. Vai encontrar todas os parceiros e fornecedores disponíveis assim como os preços das várias gamas.
. Marcar no Get Your Guide os bilhetes de entrada nos locais que pretende visitar ou nos tours que quer fazer, para evitar filas e tempo perdido.
. Fazer o visto em iVisa.
. Fazer um seguro de viagem na Iati Seguros, para não correr riscos que podem sair caros.
. Utilizar o cartão Revolut, que lhe possibilita fazer pagamentos e levantamentos na moeda do local onde estiver a viajar (e poupar muito dinheiro em taxas).
. Marcar sempre que necessário uma Consulta do Viajante para conhecer os riscos associados à sua viagem e as respectivas medidas de protecção e prevenção.
. Optar sempre que possível por levar menos bagagem possível. Veja as minhas 10 dicas.

 

Sobre a Kate
É uma ex-consultora, blogger de viagens a tempo inteiro, viajante há 20 anos e mãe da Maria há 6. Viaja na maior parte das vezes em família, com a filha desde que era uma bebé de 2 meses e os 3 juntos já fizeram mais de 40 viagens pelo mundo.
Fundou o Wandering Life, organiza @instameets.pt, fundou e é vice-presidente da ABVP – Associação de Bloggers de Viagem Portugueses, é fundadora da comunidade Famílias de mochila às costas e da rubrica Conversas em família.

Deixe um comentário