Uma tarde de domingo na Lx Factory

No último domingo à tarde fui passear à Lx Factory. É um espaço da capital portuguesa, renovado há poucos anos e fica já muito próximo do rio, na zona de Alcântara. Esta zona é já um pouco afastada do centro de Lisboa, mas existem carreiras regulares e comboio que nos podem deixar lá muito perto. Ao chegar é preciso procurar com atenção um portão de ferro, uma vez que é uma entrada muito discreta.

Na Lx Factory sente-se uma boa energia, devido a uma mistura de factores. Tem um ar abandonado e decandente, as lojas e escritórios são super originais e irreverentes e as pessoas que por lá andam parecem ser muito interessantes. Todo este ambiente é ainda melhor ao domingo.

Neste dia da semana realiza-se o Lx Market, entre as 11 e as 20h. Algumas das ruas enchem-se de bancas com vendedores portugueses e outros estrangeiros. É vendida roupa, joalharia, fruta e legumes, sumos e bebidas alcóolicas, produtos naturais e de decoração. Mas mesmo que não vá comprar nada vale a pena fazer parte deste mercado.

A antiga fábrica

Ao percorrer as ruas da Lx Factory vai perceber que este espaço era uma zona fabril. Foi no ano de 1849 que a Companhia de Fiação e Tecidos Lisbonense foi ali inaugurada. Era uma das maiores fábricas de Lisboa na época.

A Companhia já existia desde 1838 mas a instalação em Alcântara ocorreu com o objetivo de juntar todos os edifícios relacionados com a atividade, que se encontravam dispersos. O responsável pelo projeto foi o arquiteto português João Pires da Fonte.

O primeiro edifício fabril a ser inaugurado tinha 4 andares, uma chaminé enorme e uma máquina de vapor no seu interior, que permitia realizar a fiação e a tecelagem. Nos anos seguintes foram construídos mais 5 edifícios e em toda a instalação chegaram a existir 300 teares, provenientes de Inglaterra. Foram os tempos aúreos da atividade.

Imagina a quantidade de pessoas que trabalhavam na fábrica? Tendo em vista albergar os trabalhadores e as suas famiílias a Companhia foi responsável por construir muito próximo instalação fabril, uma vila operária. Se a quiser ver dirija-se à Rua 1º de maio. E já agora, para lhe deixar alguma curiosidade, acrescento que existem muitos outras vilas operárias em Lisboa, se bem que da rua 1º de maio foi a primeira de todas.

Depois de gozar de algum prestígio, a Companhia de Fiação e Tecidos Lisbonense começou a ter problemas (provocados pela implementação da República em Portugal) e acabou por se dissolver. Os edifícios fabris foram vendidos, primeiro à Companhia Industrial de Portugal e Colónias e seguidamente à tipografia Anuário Comercial de Portugal e Gráfica de Mirandela.

A atividade industrial foi gradualmente diminuindo em Lisboa e o espaço ocupado pela fábrica foi-se degradando. E assim sendo, este espaço enorme e 23000m2, permaneceu escondido em Lisboa.

Como surgiu a Lx Factory

Foi em 2008 que nasceu o projeto Lx Factory. É uma ilha onde se respira criatividade e inspiração. A fábrica obsoleta ressuscitou e atualmente é um foco cultural obrigatório para quem visita (ou vive em) Lisboa.

Frase escrita numa parede da Lx Factory
Frase escrita numa parede da Lx Factory

Nas antigas instalações existem agora empresas relacionadas com arquitetura, design, restauração, publicidade, moda, artes plásticas, música, fotografia, assim como alguns restaurantes e cafés, entre outras áreas. É uma lufada de ar fresco ver o que se passa na mente criativa dos portugueses.

Ao domingo além de todo este comércio que referi ainda temos o Lx Market. São tantas bancas de produtos mais ou menos originais, que é um delícia percorrer e quem sabe até comprar. Talvez uns tomates ou figos de Torres Vedras, uma nova pulseira original e única (porque é feita à mão), uma camisola gira ou um azulejo típico de Lisboa para recordar a cidade e o passeio desta tarde.



Dicas sobre viajar até Lisboa

(Se fizer as suas reservas através destes links, não paga mais nada por isso e eu ganho uma pequena comissão, o que é determinante para eu continuar a escrever sobre viagens. Obrigada!).

Como se deslocar: A melhor maneira de se delocar no centro de Lisboa é a pé (o centro histórico não é muito grande), de metro ou em alternativa de autocarro. Se for par Sintra, Cascais, Ericeira ou margem sul do Tejo, por exemplo, existe uma boa rede de comboios e de autocarros.

Se quiser explorar os arredores, recomendo alugar carro. Vale a pena comparar os preços e escolher o melhor negócio na Rentalcars.

Onde dormir: Atualmente existe em Lisboa uma norme oferta de alojamento, pelo que escolher pode não ser tarefa fácil. Eu privilegio sempre a localização por isso recomendo ficar a dormir em Alfama, um dos bairros mais típicos e genuínos da cidade. Se ficar neste bairro pode ir a pé até ao castelo, ao Martim Moniz ou ao Rossio, locais obrigatórios numa visita a Lisboa.

Se vier num grande grupo (até sete pessoas) ou em família recomendo ficar a dormir no Luxurious Alfama Riverview, que é um apartamento super bem localizado e com uma vista fantástica para o rio Tejo.

Se vier sozinho ou num grupo de até três pessoas recomendo o Alma Moura Residences, também muito bem localizado.

Quer conhecer o mundo melhor?

Vou enviar histórias e fotos de vários lugares do mundo!
Deixe-se inspirar 🙂
Pode cancelar a subscrição a qualquer altura. Powered by ConvertKit

Organize a sua viagem com as minhas ferramentas

  • Voos

Recomendo a Momondo ou o Skyscanner.

  • Carro

Pesquiso sempre os melhores negócios na RentalCars.

  • Alojamento

Eu utilizo quase sempre o Booking e pontualmente o AirBnb. No Booking é possível reservar e cancelar.

  • Seguro de viagem

Não vale a pena arriscar, normalmente corre tudo bem, mas nunca se sabe onde precisamos mesmo de ajuda. A IATI pode ser uma possibilidade interessante.

  • Bilhetes para museus, atividades e atrações

Com a Get Your Guide pode comprar os bilhetes para as atracções que pretender, de forma rápida e sem perder tempo em filas.

Se fizer as suas reservas através destes links afiliados, não paga mais nada por isso e eu ganho uma pequena comissão, o que é determinante para eu continuar a escrever sobre viagens. Obrigada!

38 comentários em “Uma tarde de domingo na Lx Factory”

  1. Gostei muito do texto!!! Já fui à Lx Factory há uns bons anos, mas quero muito lá voltar. É na verdade um espaço muito inspirador! Tenho mesmo de arranjar tempo para ir a Lisboa 😉
    bjs

  2. Sou louca para conhecer Portugal e seu texto inspirado, só me deu mais vontade. Certamente vou incluir esse programa no meu roteiro. 🙂

  3. Que legal essa ideia de reocupar uma fábrica com essa mistura toda! Com certeza dá pra ‘perder’ um bom tempo procurando coisas legais pra comprar 🙂 ou pelo menos se inspirando por lá! Adorei a dica!

  4. Esses passeios descompromissados são tão gostosos né? Em Cape Town tem um lugar assim também só que era um antigo moinho de farinha e hoje são vários restaurantes e espaços culturais. Amei visitar.

  5. Muito interessante! Acho incrível a reutilização de espaços abandonados. Aqui em Londres tem muito disto! Dá uma revitalizada e ainda oferece arte e cultura. Mercados também são bem legais!

  6. Essas novas funcionalidades no espaço público me encantam bastante! Não sabia da existência desse lugar! Acabando de colocar na listinha! Adorei!

  7. Que lugar interessante. Acho bem legal quando revitalizam um lugar. Ainda preciso conhecer Portugal, está como prioridade nos lugares para viajar. As dicas estão anotadas. Obrigado por compartilhar.

Deixe um comentário