O Castelo de São Jorge encontra-se no alto de uma das colinas de Lisboa.

Está classificado como Monumento Nacional e é de lá que se tem uma das melhores vistas de Lisboa.

As primeiras ocupações remontam ao século VII a.C. Escavações arqueológicas realizadas encontraram o que se pensa ser uma cozinha com panelas e outros objetos.

No século XI os muçulmanos construíram a fortificação como defesa para os elementos do governo que viviam na cidadela. Era o local onde se centralizava o poder político e militar. A muralha era designada de Cerca Moura.

Em 1147 Lisboa foi conquistada por D. Afonso Henriques (1º rei de Portugal), ao fim de um cerco de 3 meses. Reza a lenda que o cavaleiro Martim Moniz terá visto uma porta entreaberta do Castelo e com o seu corpo impediu que ela se fechasse. Desta forma os seus companheiros conseguiram entrar e ocupar o Castelo.

Os cavaleiros tinham devoção a São Jorge e por isso o Castelo passou a ter o seu nome.

No periodo da época cristã realizaram-se adaptações e ampliações nos antigos edifícios existentes na ocupação islâmica. As obras tinham como objectivo transformar o Castelo na residência real, para o Rei, corte e Bispo. Foi um período áureo onde se realizaram festas e aclamações de Reis.

Vasco da Gama quando chegou do caminho marítimo para a Índia foi recebido no Paço Real (residência do Rei no Castelo).

Em 1580 Portugal foi integrado na Coroa Espanhola e o Castelo passou a ter um carácter militar. Foram realizadas novas alterações para adaptar o espaço às novas necessidades. O Paço Real passou do Castelo para o Paço da Ribeira, junto ao Rio Tejo e o Castelo passou a ter uma função militar.

Com o terramoto de 1755 surgiu a necessidade de construir novos edifícios sobre as ruínas.

Atualmente numa visita ao Castelo podem ver-se pátios, guaritas, fossos e 11 torres das quais se destacam:

  • Menagem: a mais importante e robusta e por isso o posto de comando principal;
  • Tombo (ou Ulisses): começou por ser o tesouro real e de seguida o arquivo real;
  • Paço: a mais próxima de um local do Paço Real onde eram guardados 2 leões. Mais tarde passou a integrar também o Arquivo Real;
  • Cisterna: onde se localizava o depósito de água;
  • São Lourenço: local com ligação ao exterior. Em caso de cerco garantia possibilidade de fuga ou entrada de bens que fossem necessários.

Numa ida ao Castelo é possível descansar no miradouro e nos jardins, visitar a exposição permanente ou a Câmara Obscura. Dá ainda para tomar uma bebida no Café do Castelo ou almoçar no Restaurante Casa do Leão. Este nome deve-se a ter sido o local onde os leões que vinham de África ficavam presos. Recomendo a visita. É um local perfeito para ver a magnífica cidade de Lisboa.

A foto deste artigo é da Autoria da Anita, The Flight Attendant. Agradeço imenso por ter aceite o meu convite 🙂

Quer conhecer o mundo melhor?

Vou enviar histórias e fotos de vários lugares do mundo!
Deixe-se inspirar 🙂
Pode cancelar a subscrição a qualquer altura. Powered by ConvertKit