A ponte dos suspiros de Veneza

A Ponte dos Suspiros é conhecida em todo o mundo. Rapidamente se associa o nome desta ponte a uma bela história romântica. De facto a lenda conta que os apaixonados que passarem por baixo da ponte ficarão enamorados para sempre…

E porque não, quando for a Veneza, passar de gôndola com o seu amor, por baixo da Ponte dos Suspiros? Viver todas estas histórias faz parte de experienciar o romantismo da cidade. Mas na realidade a história do nome é outra.

História

Em 1614 o arquiteto Antonio Contino, que já tinha ajudado o tio a desenhar a Ponte de Rialto, desenhou a Ponte dos Suspiros. Tem 11 metros de largura, é feita de pedra calcária branca e tem 2 janelas com grades de pedra. A sua arquitetura renascentista italiana é belíssima.

A ponte encontra-se totalmente encerrada e coberta em todos os seus lados. Servia de ligação entre dois edifícios, o Palácio Ducal e o edifício das Novas Prisões, que foi o primeiro edifício do mundo a ser construído para ser uma prisão.

No interior da ponte existem dois corredores paralelos, completamente separados. Ambos ligavam a prisão a zonas diferentes do Palácio Ducal. Um deles permitia ir ao local onde se encontravam os executadores da lei e onde era aplicada a justiça penal e o outro corredor às salas de defesa do estado e ao parlatório.

No período Romântico surgiu o famoso nome da ponte. Acreditava-se que os prisioneiros quando saiam da sala do tribunal para a prisão, suspiravam ao terem um vislumbre de Veneza e da sua liberdade pela última vez, pelas janelas da ponte.

Mais tarde, o nome da Ponte dos Suspiros ficou conhecido por Lord Byron. Este poeta inglês viveu algum tempo em Veneza e escreveu sobre ela: “estava em Veneza, na Ponte dos Suspiros, um Palácio e uma prisão em cada mão”.

Já estive em Veneza duas vezes. Da primeira vez foi um pouco mais rápido, uma vez que apenas lá estive 2 ou 3 dias. Da segunda vez fiquei mais tempo. Consegui percorrer com calma durante largas horas as belíssimas ruas e pontes desta cidade. Andei bastante de vaporetto e experimentei as gôndolas. Comecei por ir aos locais obrigatórios como a Ponte dos Suspiros.

Passei por dentro da ponte e pelo caminho de quem soltava o suspiro antes de entrar na cela. Aconselho que faça também este percurso carregado de história. Vai gostar 🙂

Para saber como surgiu Veneza leia o artigo anterior.

Como planear uma viagem de forma independente (tal como eu faço)?
. Reservar os melhores voos no SkyScanner. Aqui consegue encontrar e comprar os melhores voos para o destino escolhido.
. Alugar carro no Rentalcars. Vai encontrar todas os parceiros e fornecedores disponíveis assim como os preços das várias gamas.
. Marcar no Get Your Guide os bilhetes de entrada nos locais que pretende visitar ou nos tours que quer fazer, para evitar filas e tempo perdido.
. Fazer o visto em iVisa.
. Fazer um seguro de viagem na Iati Seguros, para não correr riscos que podem sair caros.
. Utilizar o cartão Revolut, que lhe possibilita fazer pagamentos e levantamentos na moeda do local onde estiver a viajar (e poupar muito dinheiro em taxas).
. Marcar sempre que necessário uma Consulta do Viajante para conhecer os riscos associados à sua viagem e as respectivas medidas de protecção e prevenção.
. Optar sempre que possível por levar menos bagagem possível. Veja as minhas 10 dicas.

 

Sobre a Kate
É uma ex-consultora, blogger de viagens a tempo inteiro, viajante há 20 anos e mãe da Maria há 5. Viaja na maior parte das vezes em família, com a filha desde que era uma bebé de 2 meses e os 3 juntos já fizeram mais de 30 viagens pelo mundo.
Fundou o Wandering Life, organiza @instameets.pt, fundou e é vice-presidente da ABVP – Associação de Bloggers de Viagem Portugueses, tem ebooks onde ajuda outras famílias a viajar, organiza Workshops sobre Viajar com Crianças, fé undadora da comunidade Famílias de mochila às costas e da rubrica Conversas em família.

46 comentários em “A ponte dos suspiros de Veneza”

  1. Você já foi duas e eu ainda não consegui ir nenhuma, kkk… Tinha um vago conhecimento sobre a história do suspiro dos presos. Enfim, amo lugares com história! Obrigada por compartilhar! 😉

    Responder
  2. O pessoal adora dar esse nome de “ponte dos suspiros” já notou?! Tem aquela em Lima também! Deu vontade de cruzar essa também, muito linda, e a história é tão tocante! Abraço!

    Responder
  3. Veneza é meu sonho de consumo na Itália. Fico imaginando essas pontes, os canais, os barcos um visual incrível! E a história que você nos mostrou está ótima: simples e objetiva!

    Abração Catarina!!!

    Responder
  4. Ótimo post!
    Não entrei no Palácio Ducal e portanto, não passei por dentro da Ponte dei Sospiri. Não sabia que essa ideia vinha do perìodo do romantismo! O que me disseram (e dà para ver do lado de fora) é que nao hà janelas para que o preso suspirasse por Venezia!
    😉

    Responder
    • Olá Juliana 🙂
      Eu passei por dentro e confirmo que há janelas. E se quiser espreitar o site oficial também poderá confirmar. São é janelas quase todas tapadas com pedra…. Ouve-se falar de muitas outras histórias, é verdade 🙂

      Responder
  5. Estive uma vez em Veneza em 2007, mas estavamos a fazer um InterRail então não tinhamos dinheiro para andar de Gondola. Por isso prometi a mim mesma que voltaria um dia com o meu companheiro para andar de gondola e agora já sei que temos de passar por esta ponte 😀

    Responder

Deixe um comentário