As gôndolas de Veneza

As gôndolas de Veneza devem ser das embarcações mais bonitas do mundo. São típicas desta cidade situada no nordeste de Itália e fazem parte do imaginário romântico de muitos.

Os acabamentos e a estrutura das gôndolas que existem atualmente nos canais de Veneza, têm sofrido várias alterações ao longo dos tempos. As embarcações foram acompanhando as transformações da cidade.

História

O início da história remonta ao ano de 1094, quando estava no poder o Doge Vitale Faliero Dodoni, membro de família nobre veneziana. Este deu aos habitantes da cidade “gondulam” para que estes pudessem deslocar-se pelos canais e para tentar apaziguar a fúria popular. A sua eleição decorreu de um clima de revolta. Vitale subiu ao poder depois do anterior Doge ter sido deposto.

E assim surgiram as primeiras gôndolas, que foram rapidamente adotadas pelos venezianos. O objetivo do Doge era que os principais utilizadores fossem os camponeses, mas na realidade eram os mais ricos que utilizavam este meio de transporte.

Ao longo dos anos Veneza transformou-se numa próspera cidade comercial e as gôndolas tornaram-se um meio de transporte de grande prestígio. Eram conduzidas por dois gondoleiros e tinham uma cobertura que protegia das intempéries e dos olhares curiosos.

As cores das gôndolas eram diferentes de acordo com o seu proprietário. Era um mar de cor e imensa ostentação pelos canais de Veneza. Até que em 1633 o governo indicou que todas as gôndolas (com exceção das do governo) fossem pretas e que tivessem apenas um elemento decorativo. A cor preta provinha do alcatrão que fornecia uma melhor impermeabilização às embarcações.

Em 1884 o construtor de gôndolas Domenico Tramotin criou uma mais ágil e conduzida por um único gondoleiro. Havendo um único manobrador a remar no lado direito da gôndola, esta inclinava-se para o lado oposto. Tramotin teve então a ideia de curvar o casco e encurtar o lado direito para equilibrar a força do remo. O remo passou a servir de leme. E este é um pormenor único.

A estrutura da gôndola é então assimétrica, navegando sempre inclinada para o lado. O fundo é achatado o que permite navegar em locais com pouca profundidade.

Com o passar dos anos foi sendo modernizada e deixou de existir a cobertura, permitindo uma perspetiva mais ampla aos seus utilizadores. A gôndola de hoje em dia resulta de um compromisso entre a parte estética e fatores de navegabilidade. É uma embarcação única no mundo.

Gondoleiros

Únicos são também os gondoleiros com as suas belas camisas listradas, uma autêntica imagem de marca de Veneza. É uma profissão que tradicionalmente passa de pai para filho, sendo necessário obter uma licença, que é apenas emitida 3 ou 4 vezes por ano.

Conduzir uma gôndola está associado a uma tradição muito forte, muito antiga. Talvez por isso tenham um dialeto específico e apenas no recente ano de 2010 tenha surgido a primeira gondoleira…

Ir a Veneza e passear de gôndola é mais do que recomendado, é obrigatório. É uma experiência realmente extraordinária.

Deve andar de noite quando cai uma aura de misticismo na cidade e nos canais. Passe pelo atribulado Rialto mas depois peça ao gondoleiro (ou gondoleira!) que o leve para os canais menos conhecidos. Peça-lhe para cantar. É algo que se vê bastante por lá.

E de repente está a percorrer de gôndola um canal sem mais ninguém. Apenas o leve som do remo e de uma bela música italiana. É pura magia. Não se esqueça de passar por baixo da Ponte dos Suspiros!

28 comentários em “As gôndolas de Veneza”

    • Olá Juliana 🙂
      Que bom que gostou! Tem toda a razão, realmente não falei desse aspeto. Mas explico aqui. O ferro protege contra um embate e serve de contrapeso do peso do gondoleiro que está na ponta oposta da gôndola. O formato em S representa o grande canal e um dos pequenos ferros os bairros que existem na ilha de Veneza. Espero que tenha ficado esclarecida 😉

      Responder
  1. Adorei o seu post Catarina! Acho que mais gente devia apreciar fatos históricos antes de ir viajar, o destino parece mais interessante ainda. Parabéns pelo blog!

    Responder
  2. ler seu post foi relembrar minha viagem à Veneza e ver que ainda tenho muito a aprender sobre o lugar. Adorei!

    Responder
  3. Característico demais de Veneza. Um charme mais do que especial esse passeio pela cidade que, com certeza, não pode ser deixado de lado na visita a cidade!!!

    Responder
  4. One of the highlights from our trip to Venice was experiencing a Gondola ride, and chatting with our Gondolier – they have such passion for their city, and always provide historic and cultural insight while you’re on your boat ride 🙂 Totally agree that you should do it at night!

    Responder
  5. Amei Veneza.Nosso hotel ficava de frente para os canais,o Lago,ficava até madrugada vendo os barcos passarem .A cidade iluminada.Tenho muitas fotos imortalizar esta viagem.Obrigada.

    Responder
  6. Que interessante, confesso que não sabia sobre a história das gondolas e nem como funcionava a certificação dos gondoleiros, obrigada por compartilhar, quando estiver em Veneza vou ver com outros olhos.

    Responder

Deixe um comentário