Crónicas das minhas viagens em família #1

Eu já viajava há 15 anos quando engravidei e tinha a certeza de que nada me iria abalar… Mas quando senti a responsabilidade em tratar daquele pequeno ser que tinha dentro de mim, todas as seguranças que tinha ficaram um pouco abaladas. Fiquei em pânico nas primeiras semanas com todas as mudanças que a minha vida iria ter mas depois informei-me, conversei bastante com o meu obstetra e percebi que não havia razão para parar de fazer o que eu mais gostava. Viajar.

Estávamos então no ano de 2014, eu era ainda consultora e tinha férias no mês de Junho. Decidi então às 20 semanas de gravidez viajar para a ilha da Boavista, em Cabo Verde. Fiz umas férias relaxadas, entre o hotel e a praia e foi mesmo fantástico. É totalmente possível viajar grávida!!!

1º Ano da Maria

Viagens em família #1 – Funchal

A Maria tinha apenas 2 meses quando decidimos ir com ela dar uma volta de avião. Fomos passar meia dúzia de dias ao Funchal. Já lá tínhamos estado antes a percorrer a ilha de carro mas desta vez sabíamos que iria ser algo mais calmo, muito à volta do hotel que escolhemos. Foi o Vidamar, na zona do Lido, numa área super tranquila e a poucos minutos a pé do centro do Funchal.

Os dias eram tranquilos, ao ritmo dela, com muitos passeios com o carrinho de bebé. Foram dias bons, muito bons, depois de umas primeiras semanas mais em casa depois de ela nascer.

Crónicas das minhas viagens em família #1
Com 2 meses a embarcar para o Funchal, Portugal

Viagens em família #2 – Natal

Tínhamos regressado do Funchal (Madeira) uma semana antes. A Maria tinha 2 meses e a viagem correu bastante bem por isso decidimos que podíamos ir para mais longe. Decidimos então ir a Natal, no nordeste do Brasil, rumar ao tempo quente, para fugir ao Fevereiro frio e chuvoso de Lisboa.

Falámos com a pediatra e ela deu algumas recomendações relativas ao sol que seria tolerância zero e a beber água mesmo ainda estando a mamar. Do sol claro que já imaginava, nunca me passaria pela cabeça andar com uma bebé de 2 meses ao sol… mas o dar água não fazia ideia. A pediatra explicou-me que normalmente quando um bebé ainda está a mamar não precisa de água, mas como iamos para um local quente seria boa ideia ir dando um pouco de água. E foi o que fizemos.

Estivemos num hotel à beira mar, com muitas sombras de guarda sol e uma mais consistente junto à qual passámos os nossos dias. A Maria ficava entre o carrinho de bebé, e a tenda de proteção UV que levámos, com muito protetor solar que também tinha sido recomendado pela pediatra.

Quando ela estava a dormir aproveitávamos para nos estendermos na espreguiçadeira mesmo ali ao lado ou entrar na piscina que ficava a cerca de 1,5 metros dela e alternávamos entre nós entre ficar junto à berma para a ver e a dar um mergulho um pouco mais longe. Quando ela estava acordada ficávamos a brincar, a dar muito colo e a passear um pouco (à sombra), mudar a fralda e dar de mamar. Ao final do dia por vezes íamos passear com ela até à praia, na altura em que o sol já se tinha ido embora e estava uma temperatura perfeita.

Depois de um banho no quarto, saíamos para jantar em Ponta Negra, num local muito perto do hotel. Foram dias tranquilos e relaxantes que nos fizeram muito bem…. A Maria estava super à vontade e fez-lhe mesmo bem tirar a roupa e andar apenas de fralda!

Crónicas das minhas viagens em família #1
Com quase 3 meses num hotel em Natal, Brasil

Viagens em família #3 – Holanda

A Maria tinha 6 meses e já tinhamos ido à Madeira e ao Brasil quando decidimos ir dar uma volta pela Holanda. Eu já lá tinha estado uns anos antes e tinha gostado bastante das pequenas localidades fora de Amesterdão e por isso quis repetir.

As duas primeiras viagens tinham sido bastantes tranquilas, uma vez que ficámos num só hotel, com passeios a pé. Na Holanda iria ser um pouco diferente, uma vez que a Maria já estava um pouco mais crescida, com mais algum tempo acordada.

Ficámos então a dormir em Gouda, para fugir a Amesterdão que confesso ser o que menos tinha gostado. Gouda é uma cidade encantadora e ficar lá com a “base” foi o melhor que podiamos ter feito. Escolhemos um apartamento inserido num bairro residencial. Foi uma experiência super autêntica uma vez que existiam pouquíssimos turistas e ficámos num apartamento inserido numa zona residencial.

Alguns dias ficávamos a explorar Gouda mas na grande maioria das vezes apanhávamos um comboio e íamos até Amesterdão, Leiden ou Haia. Os comboios funcionam super bem, circulavam sempre no horário e são bastante silenciosos o que é importante quando se tem um bebé pequeno.
Fazer esta viagem com a Maria foi bastante fácil. O voo foi tranquilo e os dias no carrinho alternavam entre algumas sestas e muito colo. Relativamente à alimentação também não era difícil uma vez que ela comia papa e fruta.

Crónicas das minhas viagens em família #1
Com 6 meses na Holanda

Viagens em família #4 Ilha do Sal

A Maria tinha quase 7 meses e já tínhamos ido juntos à Madeira, ao Brasil e à Holanda quando decidimos ir passar uns dias na ilha do Sal, em Cabo Verde. Eu já lá tinha estado uns anos antes e tinha gostado imenso (tenho vindo a conhecer mais ilhas deste então e cada vez sou mais fã). Quando estivemos na Holanda passeámos bastante por várias localidades mas desta vez iríamos apenas relaxar num hotel em Santa Maria. Comprámos a viagem de avião, reservámos no booking um hotel que nos pareceu interessante e lá fomos. Os voos correram bastante bem, com a Maria a dormir quase toda a viagem naqueles berços que algumas companhias disponibilizam, como é o caso da TAP, por exemplo.

Os dias também foram bastante tranquilos, tinhamos tudo incluido, que não nada habitual, mas naquela fase queríamos ter tempo para nos focarmos na nossa bebé e em relaxar o máximo possível. Não pensar em mais nada! A alimentação dela era também bastante fácil, estava com papa e fruta.

Com 7 meses na Ilha do Sal (Cabo Verde)

Foram nestes dias que ela começou a sentar-se, a rebolar, teve contacto pela primeira vez com areia e a água do mar (só molhou os pés). Nunca mais me esqueço do deslumbre da cara dela a olhar para aquela imensidão… No Brasil já tínhamos estado na praia mas ela tinha apenas 2 meses era muito pequenina.

Tal como quando fomos ao Brasil estivemos sempre à sombra com ela e levámos uma tenda com protecção UV. Era lá dentro que ela ficava a dormir e por vezes quando não estava ao nosso colo a brincar. Na altura da sesta ficávamos no quarto com ela alternadamente, ou seja, por vezes ficava eu, outras vezes ficava o Ricardo, enquanto o outro ia dar uma volta ali por perto ou aproveitava para apanhar sol.

Viagens em família #5 – Oslo

A Maria tinha 8 meses e já tinhamos ido juntos à Madeira, ao Brasil, à Holanda e à ilha do Sal (Cabo Verde) quando decidimos ir passar uns dias em Oslo. Foi uma deslocação de trabalho do Ricardo por isso fiz os voos de ida e regresso sozinha com a Maria. Correu tudo bem, tendo sido o mais complicado a passagem na segurança em ambos os aeroportos. Foi preciso desmontar o carrinho e tirar toda a tralha, o que é bastante fácil, a única coisa que complicou foi ter um bebé de 9 meses ao colo e nenhum sítio para a por… Lá tive de pedir a uma das pessoas que estavam naquela zona que lhe pegasse ao colo enquanto eu montava e desmontava o carrinho, não havia outra hipótese.

Já na cidade, com os 3 juntos, passámos alguns dias a conhecer a cidade, que eu nunca tinha visitado. Fomos até à ópera, a vários jardins, ao centro da cidade e num dos dias fomos fazer um passeio de barco.
Com a Maria foi tudo calmo. Levei papa, sopa já feita e comprei fruta. Se fizerem alguma viagem e quiserem levar sopa feita recomendo que a transportem toda no porão. Tive vários problemas na segurança para passar uma sopa que iria ser necessário para a Maria durante o tempo do voo por exemplo. Duas ou três vezes ficou até retida e a Maria sem almoço!
Quanto às sestas ela fazia duas durante o dia sempre no carrinho. Dependendo do local onde nos encontrávamos ser silencioso ou não, parávamos num local sossegado ou continuávamos a andar. É bastante tranquilo viajar com bebés pequeninos por esta razão, passam imenso tempo a dormir. Quando são maiores como é o caso da Maria que agora já tem 5 anos já não é bastante diferente.

Crónicas das minhas viagens em família #1
Com 8 meses em Oslo

Viagens em família #6 – Nova Iorque

Fomos duas semanas a Nova Iorque quando a Maria tinha 9 meses. Já tínhamos viajado juntos na Madeira, Brasil, Holanda, lha do Sal (Cabo Verde) e Oslo.
Visitar esta cidade foi como viver um filme, pela quantidade de vezes que já tinha visto quelas ruas, parques e edifícios.

A marcação da viagem foi bastante simples, marcámos voo e um hotel com uma pequena cozinha em Jersey. A Maria na altura comia sopa e tínhamos de ser nós a fazer, por isso era obrigatório conseguirmos ser autónomos quanto a isso. Fora de Portugal já sabemos que não é fácil arranjar sopa igual à nossa e ela ainda agora se estava a habituar, não podíamos mudar isso.

Levei então de casa uma pequena panela e uma varinha mágica que foram fundamentais e todos os dias fizemos sopa para ela. Felizmente a poucos metros do hotel encontrámos uma mercearia e era lá que compravamos os legumes e fruta que íamos precisando.
Todos os dias quando saímos de casa levávamos duas doses de sopa numa pequena geleira e depois tínhamos de procurar almoçar e jantar num local onde nos deixasse aquecer a sopa. Esta parte não foi nada fácil… Na grande maioria dos locais não nos deixavam aquecer, foi uma ginástica enorme duas vezes por dia conseguimos aquecer-lhe a sopa!!! Mas lá conseguimos Crónicas das minhas viagens em família #1

Como ficámos a dormir no lado de lá de Manhattan tínhamos de apanhar um comboio para o centro e depois o metro para nos deslocarmos para um sítio específico da ilha. Para alguém que explora sem carrinho de bebé isto é algo totalmente fácil, mas com um bebé, carrinho e tralha respetiva, com um total de quinze quilos é totalmente diferente.

A esmagadora maioria das estações de metro não têm elevador, apenas centenas de escadas!!! Carregámos esse peso inúmeras vezes ao longo dos dias, escada abaixo e acima… Foi preciso ter uma maior organização e planeamento dos dias, mas aproveitámos imenso e conhecemos tudo aquilo que queríamos. Viajar com bebé não impede nada!!!!

Crónicas das minhas viagens em família #1
Com 9 meses em Nova Iorque

Viagens em família #7 – Funchal

A Maria tinha 10 meses e já tínhamos viajado juntos na Madeira, Brasil, Holanda, lha do Sal (Cabo Verde) e Oslo e Nova Iorque, quando decidimos voltar novamente ao Funchal. Fomos outra vez para o Vidamar, na zona do Lido, muito perto do centro da ilha e passámos uns bons dias de sol à beira da piscina.
A Maria nesta fase já tinha uma vontade enorme de estar em pé, pelo que se agarrava a tudo para o conseguir Crónicas das minhas viagens em família #1
A nossa casa já estava preparada para essa nova fase, mas assim que chegámos ao hotel a primeira coisa que fizemos foi tirar as coisas que nos pareciam perigosas e “almofadar” uma boa parte do quarto para ela estar à vontade e não se magoar se caísse.
A sesta era algumas vezes no quarto mas principalmente no carrinho, à sombra, num local tranquilo. O que fazíamos muito era ir até a um café sossegado, com poucas pessoas, com vista para o mar, ler o jornal enquanto ela dormia. Todos estavam contentes!
Como estávamos em “casa”, ou seja, Portugal, não nos preocupámos com a sopa, porque é facílimo encontrar em quase todos os restaurantes. A refeição principal também foi tranquilo. Nós estamos habitados a comer peixe grelhado e comida saudável, sem molhos, nem fritos, pelo que não tivemos de alterar muito os nossos hábitos para ir a sítios que tivessem comida adequada para um bebé.

Crónicas das minhas viagens em família #1
Com 10 meses no Funchal

Viagens em família #8 – Finlândia

A Maria tinha 10 meses e fomos fazer a nossa 8ª viagem juntos. Uma semana antes tínhamos ido ao Funchal e foi bastante simples com a alimentação por continuarmos em “casa” mas ir até à Finlândia já teve de ter outra organização. Como optámos por ficar num hotel em Helsínquia, não tinhamos cozinha, mas perguntámos antecipadamente se era possível fazer sopa na cozinha do hotel. Eles confirmaram que não haveria problema, então levámos tudo para fazer a sopa, ou seja, tacho e faca para cortar legumes, preparámos tudo e apenas pediamos para utilizar o fogão e passar. Estão a imaginar a nossa babagem? Crónicas das minhas viagens em família #1🙂 Roupa, fraldas, papa e tacho 😂😂

Quando saíamos para passear de manhã levávamos tudo o que era preciso para o dia no carrinho, como por exemplo 2 sopas, uma para o almoço e outra para o jantar. O prato principal era sempre do nosso.

O que neste país foi super difícil foi aquecer a sopa que ia refrigerada, tal como tinha acontecido em Nova Iorque. A grande maioria dos cafés e restaurantes recusou-se a aquecer. Algumas vezes foi um desespero…. Já tiveram alguma experiência desta?

Estava frio quando fomos por isso comprámos um casaco bem quentinho para a Maria, para todo o corpo. Confesso que viajar para locais quentes é muito mais fácil, menos roupa, mais fácil de mudar fralda e as crianças sentem-se bem melhor e mais soltas com menos roupa.
Estivemos em Helsínquia e Porvoo essencialmente, andando muito a pé e de transportes públicos. Como em todas as outras viagens passeávamos todo o dia, sempre com a Maria a dormir as sestas no carrinho.

Crónicas das minhas viagens em família #1
Com 10 meses em Helsínquia

Viagens em família #9 – Natal

1 ano de Maria, 9 viagens para fora de Portugal.

Meia dúzia de dias depois de ela fazer 1 ano voltámos ao Brasil, ao mesmo hotel onde tínhamos estado quando ela tinha apenas 2 meses. O hotel é fantástico e incrível para crianças. Além disso a comida brasileira é ótima e super fácil para as crianças gostarem. É um destino perfeito para ir em família.

Os dias foram calmos, com a Maria a fazer as sestas junto à piscina (à sombra), a brincar muito na água da piscina e a beber imensa água de coco. O hotel tem cozinha para bebés, por isso fazíamos sopa para ela lá e o resto da comida era da nossa. Peixe grelhado essencialmente, arroz e puré e imensa fruta tropical.
A Maria já há algum tempo que estava a querer andar, aqui agarrava-se muito às espreguiçadeiras para se deslocar e foi junto a uma das piscinas que ela deu os seus primeiros passos. Foi uma emoção incrível vê-la levantar-se e ir ter com o pai….

Crónicas das minhas viagens em família #1
Aos 12 meses em Natal, no Brasil

Como planear uma viagem de forma independente (tal como eu faço)?
. Reservar os melhores voos no SkyScanner. Aqui consegue encontrar e comprar os melhores voos para o destino escolhido.
. Alugar carro no Rentalcars. Vai encontrar todas os parceiros e fornecedores disponíveis assim como os preços das várias gamas.
. Marcar no Get Your Guide os bilhetes de entrada nos locais que pretende visitar ou nos tours que quer fazer, para evitar filas e tempo perdido.
. Fazer o visto em iVisa.
. Fazer um seguro de viagem na Iati Seguros, para não correr riscos que podem sair caros.
. Utilizar o cartão Revolut, que lhe possibilita fazer pagamentos e levantamentos na moeda do local onde estiver a viajar (e poupar muito dinheiro em taxas).
. Marcar sempre que necessário uma Consulta do Viajante para conhecer os riscos associados à sua viagem e as respectivas medidas de protecção e prevenção.
. Optar sempre que possível por levar menos bagagem possível. Veja as minhas 10 dicas.

 

Sobre a Kate
É uma ex-consultora, blogger de viagens a tempo inteiro, viajante há 20 anos e mãe da Maria há 5. Viaja na maior parte das vezes em família, com a filha desde que era uma bebé de 2 meses e os 3 juntos já fizeram mais de 30 viagens pelo mundo.
Fundou o Wandering Life, organiza @instameets.pt, fundou e é vice-presidente da ABVP – Associação de Bloggers de Viagem Portugueses, tem ebooks onde ajuda outras famílias a viajar, é fundadora da comunidade Famílias de mochila às costas e da rubrica Conversas em família.

Deixe um comentário