O cante alentejano

O Alentejo ocupa quase um terço de portugal, desde o rio Tejo até ao Algarve. Nesta região encontram-se planícies douradas a perder de vista e povoações salpicadas de branco, herança mourisca.

A identidade da região encontra-se ligada à sua gastronomia, ao seu vinho e ao cante. Este foi considerado Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO, em 2014.

Existem várias teorias sobre a origem do cante alentejano. Pode ter tido origem nos coros gregorianos ou no canto árabe.

É um canto executado em grupo e sem instrumentos, centrado em valores da alma do povo e reconhecido pelo seu andamento lento e a existência de pausas. Nele distinguem-se sempre 2 vozes solistas que vão alternando com um coro, no qual também participam.

As “modas” que versam podem ter como temas o trabalho, o amor, a contemplação e a nostalgia. São temas normalmente tristes e ligados às recordações da terra onde se nasceu.

Inicialmente o cante era uma manifestação espontânea, que acontecia no campo. Marcava o movimento lento da ceifa, monda ou apanha da azeitona. Funcionava como um estímulo para um determinado ritmo de trabalho. Nesta altura era uma prática cultural de homens e mulheres.

Ao longo do tempo a forma de trabalho foi-se alterando e o cante deixou de ter importância nas tarefas do campo. Passou a ser protagonizado nas tabernas. Estes locais eram interditos a mulheres e por isso ficaram privadas do papel de intérpretes. Apenas depois do 25 de Abril foi possível constituírem grupos femininos ou juntarem-se aos grupos de homens.

Esta tradição tem vindo a ser passada ao longo de gerações e hoje em dia existem grupos oficiais.

Para saber mais sobre este género musical consulte http://casadocante.pt/ e oiça o estudo para um documentário do Sérgio Tréfaut  https://www.youtube.com/watch?v=OGmCNJ6RGEs

Confesso que o Alentejo para mim é o melhor de Portugal. A paisagem, as pessoas e o seu modo de estar e a imensa tranquilidade são totalmente fascinantes e únicos. E o cante é algo que vem de dentro, da alma. Esta autenticidade ainda se pode presenciar indo a uma taberna numa povoação branca no imenso Alentejo.

Como planear uma viagem de forma independente (tal como eu faço)?
. Reservar os melhores voos no SkyScanner. Aqui consegue encontrar e comprar os melhores voos para o destino escolhido.
. Alugar carro no Rentalcars. Vai encontrar todas os parceiros e fornecedores disponíveis assim como os preços das várias gamas.
. Marcar no Get Your Guide os bilhetes de entrada nos locais que pretende visitar ou nos tours que quer fazer, para evitar filas e tempo perdido.
. Fazer o visto em iVisa.
. Fazer um seguro de viagem na Iati Seguros, para não correr riscos que podem sair caros.
. Utilizar o cartão Revolut, que lhe possibilita fazer pagamentos e levantamentos na moeda do local onde estiver a viajar (e poupar muito dinheiro em taxas).
. Marcar sempre que necessário uma Consulta do Viajante para conhecer os riscos associados à sua viagem e as respectivas medidas de protecção e prevenção.
. Optar sempre que possível por levar menos bagagem possível. Veja as minhas 10 dicas.

 

Sobre a Kate
É uma ex-consultora, blogger de viagens a tempo inteiro, viajante há 20 anos e mãe da Maria há 6. Viaja na maior parte das vezes em família, com a filha desde que era uma bebé de 2 meses e os 3 juntos já fizeram mais de 40 viagens pelo mundo.
Fundou o Wandering Life, organiza @instameets.pt, fundou e é vice-presidente da ABVP – Associação de Bloggers de Viagem Portugueses, é fundadora da comunidade Famílias de mochila às costas e da rubrica Conversas em família.

21 comentários em “O cante alentejano”

  1. Portugal é um país tão plural, né?! A gente aqui, de além mar fica maravilhado com tanta diversidade, seja em termos de paisagem quanto de expressões culturais. Coisa linda! Adorei o post! Beijos.

    Responder
  2. Preciso muito conhecer o Alentejo, por hora apenas conheço Lisboa e Porto, preciso explorar um pouco mais Portugal. Não conhecia essa tradição cultural e fui buscar mais informações e achei muito bonito, espero que os mais jovens se interessem e que essa tradição possa sobreviver por mais gerações.

    Responder
  3. Quanto mais eu conheço de Portugal, mais apaixonada eu fico! Cheguei a planejar uma ida a Évora, para viajar um pouquinho pela região, mas na época não aconteceu… Continuo sonhando com o Alentejo!

    Responder
  4. Também adoro o Alentejo… As paisagens, a comida, a sua gente. E, claro está, também o seu cante, que me emociona profundamente. Gostei de saber mais sobre esta bonita tradição! Parabéns pelo artigo. 😉

    Responder
  5. Quanto mais leio sobre Portugal, mais me encanto com sua rica história e cultura (e é claro as delícias da cozinha portuguesa)!
    É um país que quero muito conhecer e claro o Alentejo terá lugar garantido no meu roteiro!!

    Responder

Deixe um comentário