10 razões para não ter medo de voar (Por um piloto)

Viajar na grande maioria das vezes implica viajar de avião e isto pode ser um problema para muitas e muitas pessoas. Sofrer de aerofobia é algo que afecta milhões de pessoas no mundo e que as pode impedir de concretizar viagens de sonho ou até ter um determinado emprego.

Com este blog de viagens quero ajudar pessoas a viajar, em especial famílias, por isso pedi ao piloto cá de casa para anotar 10 razões para não termos medo de andar de avião. Há coisas que sentimos que não têm grande explicação, mas há muitas outras que podem ser relativizadas se as compreendermos. Espero que vos ajude!

1 – A probabilidade de ocorrer um acidente de avião é muito baixa

Em média há 175000 voos diários e estima-se que a probabilidade de haver um acidente seja de 1 em cada 10.000.000 voos. Diz-se em tom de brincadeira que o perigo não está no voo em si, mas no trajecto de carro de e para o aeroporto!

2 – Os pilotos são treinados e capacitados

Os aviões têm sempre pelo menos dois pilotos, cada um do qual tem um curso exigente com 14 cadeiras relativas a áreas como meteorologia, princípios de voo, performance e limitações humanas e navegação e um curso especifico (type rating) do tipo de avião em que voa.

Os pilotos fazem testes médicos regulares e sessões de simulador frequentes onde treinam avarias/falhas diversas e emergências, para estarem preparados para alguma situação anómala que possa ocorrer.

10 razões para não ter medo de voar (Por um piloto)
No cockpit

3 – Os aviões têm manutenções frequentes

O plano de manutenção de cada avião é regular e muito detalhado e todas as peças do avião são certificadas, até o mais pequeno parafuso.

10 razões para não ter medo de voar (Por um piloto)
Cockpit e o nariz do avião com os 2 pilotos no interior

4 – Os aviões têm a ultima tecnologia

A aviação integra tecnologia de ponta, com as últimas descobertas e invenções, pelo que os aviões são mais rápidos, mais leves, menos poluentes e mais seguros.

5 – A turbulência é natural

Há dois tipos de turbulência. A designada “de ar limpo”, que não constitui perigo, ocorre num céu sem nuvens, está relacionada com variações rápidas de temperatura ou de vento, é frequente num voo e normalmente só se traduz em alguns abanões no avião.
A outra turbulência está relacionada com nuvens, sendo as mais perigosas chamadas de Cumulonimbus (CBs), que se podem estender por vários quilómetros, horizontal e verticalmente, têm muita energia no seu interior e são muitos instáveis. Contudo os aviões possuem radares meteorológicos que permitem identificar essas nuvens e desviar delas, mesmo de noite.

6 – A aviação tem legislação do ICAO

Existe uma organização denominada ICAO que é representada em Portugal pela ANAC e que legisla, regula e certifica tudo na aviação. Todos os aspectos estão muito bem definidos e aprovados e as penas e multas são pesadas para os incumpridores o que fomenta a segurança e cumprimento de todas as regras.

7 – Existe uma rede de segurança complexa

Os acidentes na aviação nunca resultam de um único erro, mas de uma série de erros acumulados que juntos é que podem resultar num acidente. Na teoria do queijo suíço de James Reason é defendido que os buracos podem ser considerados como falhas de gestão, falhas de factores humanos, falhas organizacionais, mecânicas ou culturais, entre outras e que apenas a conjugação de uma série de falhas (buracos) alinhadas é que podem provocar o acidente.
Tendo isso em conta foi construída uma rede de segurança complexa e quase inquebrável para evitar acidentes.

8 – Aprender e melhorar com os erros

Apesar de serem raros, os acidentes ocorrem. Quando há um acidente, ele é estudado pelos especialistas e normalmente como resultado são feitas recomendações à industria que poderão levar a alteração de procedimentos ou práticas, treino de manobras especificas dos pilotos ou , mudanças em aviões semelhantes ao que sofreu o acidente, por exemplo.

10 razões para não ter medo de voar (Por um piloto)
No cockpit

9 – Companhias e segurança

Normalmente as companhias aéreas têm um gabinete de segurança que monitoriza todos os voos diários, detectando situações anómalas, falhas de sistemas do avião, erros dos pilotos e possíveis riscos na operação. Além de detectar esse tipo de problemas propõe também alterações.

10 – Aviões mais novos e fiáveis

Com o aumento no tráfego aéreo verificado nos últimos anos, crescimento este que se prevê que se mantenha nos próximos anos, há cada vez mais aviões novos a voar, reduzindo a idade média das frotas das companhias. Adicionalmente com o aumento da experiência dos fabricantes de aviões, estes são cada vez mais fiáveis.

Por último gostaria de deixar uma dica, que poderá ser útil quando sentir alguma insegurança ou nervosismo, quer seja por algum barulho que possa parecer invulgar, muitas vezes provocado pelos sistemas hidráulicos do avião, subida/descida do trem, turbulência, abortar descolagem/aterragem, ou simplesmente por ter receio de andar de avião. Olhe atentamente para as assistentes de bordo e perceberá pela expressão de tranquilidade delas que está tudo bem e a decorrer normalmente.

Espero ter ajudado! Têm mais alguma questão sobre voar? 

Como planear uma viagem de forma independente (tal como eu faço)?
. Reservar os melhores voos no SkyScanner. Aqui consegue encontrar e comprar os melhores voos para o destino escolhido.
. Alugar carro no Rentalcars. Vai encontrar todas os parceiros e fornecedores disponíveis assim como os preços das várias gamas.
. Marcar no Get Your Guide os bilhetes de entrada nos locais que pretende visitar ou nos tours que quer fazer, para evitar filas e tempo perdido.
. Fazer o visto em iVisa.
. Fazer um seguro de viagem na Iati Seguros, para não correr riscos que podem sair caros.
. Utilizar o cartão Revolut, que lhe possibilita fazer pagamentos e levantamentos na moeda do local onde estiver a viajar (e poupar muito dinheiro em taxas).
. Marcar sempre que necessário uma Consulta do Viajante para conhecer os riscos associados à sua viagem e as respectivas medidas de protecção e prevenção.
. Optar sempre que possível por levar menos bagagem possível. Veja as minhas 10 dicas.

 

Sobre a Kate
É uma ex-consultora, blogger de viagens a tempo inteiro, viajante há 20 anos e mãe da Maria há 5. Viaja na maior parte das vezes em família, com a filha desde que era uma bebé de 2 meses e os 3 juntos já fizeram mais de 30 viagens pelo mundo.
Fundou o Wandering Life, organiza @instameets.pt, fundou e é vice-presidente da ABVP – Associação de Bloggers de Viagem Portugueses, tem ebooks onde ajuda outras famílias a viajar, é fundadora da comunidade Famílias de mochila às costas e da rubrica Conversas em família.

Deixe um comentário